Review – Monster, de Naoki Urasawa: Volume 1 (Editora Panini)

Qual a decisão correta, Doktor Tenma?

Naoki Urasawa. Sempre que falamos nesse nome temos a certeza de que algo de qualidade extrema acompanha qualquer obra possível do autor. Em 2006, tivemos o prazer de conferir uma das suas mais renomadas séries, a que é considerada por muitos como sua principal obra. A editora Conrad, que reinava em publicações de excelente nível (mas que não teve tanta sorte com as mesmas) trouxe para o mercado o mangá Monster, diferenciando-se de muitos dos mangás que tínhamos por aqui naquela época, visando um público mais maduro e de certa forma “refinado”. O título logo se destacou, e apesar da desistência da maior parte da linha de mangás da editora, um grande carinho e fãs se formaram pelo Brasil, todos órfãos e ansiosos para ler toda a história do Doutor Tenma e do jovem Johan.

Em 2011, a editora Panini – líder do mercado nacional de mangás atualmente – resolveu investir pesado nos lançamentos para 2012, e ao lado de One Piece, Dragon Ball e Kuroshitsuji, decidiu reatar o amor dos brasileiros com Naoki Urasawa, trazendo mais uma vez Monster e “de brinde” outra obra do autor, 20th Century Boys. Chega agora a sua chance de conhecer essa fantástica obra do mestre e desfrutar de um mangá que vai mexer com sua cabeça. Com vocês: Monster. Uma volta com estilo.

A história

Uma sociedade em que a fama e o poder fala mais alto. Assim começa nossa história, na Alemanha Ocidental. Em um dos hospitais mais renomados do país, surge o jovem Kenzo Tenma, um japonês que se mudou em busca do sucesso em sua carreira extremamente promissora de neurocirurgião. Namorado da filha do diretor geral, respeitado e cheio de regalias, Tenma vê seu mundo girar de ponta cabeça a partir de um acontecimento: ele foi o escolhido para salvar um importante paciente, mas em troca teve de abandonar um caso de um paciente turco que acabou por falecer. Isso o deixa muito abalado e cheio de dúvidas em mente… afinal, para quê ele havia estudado para se tornar um médico? Salvar pessoas ou apenas por luxuria de outros?

É aí que um caso de uma criança a beira da morte e que Tenma escolhe salvá-la ao invés de obedecer as ordens de cuidar de um importante político que acaba por falecer. Essa decisão mudará sua vida radicalmente, fazendo-o passar do céu ao inferno e vice-versa diversas vezes. Será que essa foi a melhor opção para sua carreira? Será que essa foi a melhor opção para sua vida? Atentados, intrigas e investigações. Quem será Johan, o garoto que ele salvou naquela noite? Prepare-se para acontecimentos perturbadores em um mangá que com certeza entrará na lista dos melhores que você já leu na sua vida.

Considerações Técnicas – O mangá

Publicado na revista Big Comic O entre os anos de 1994 e 2001, o seinen Monster rendeu 18 volumes encadernados e se transformou um excelente anime de 74 episódios produzido pelo estúdio MadHouse.

O mangá ganhou diversos prêmios e reconhecimentos da mídia japonesa, recebendo em 1997 o prêmio do Japan Media Arts Festival (ao lado de Blade of the Immortal, outro título lançado no Brasil pela Conrad e cancelado), em 1999 o prêmio Osamu Tezuka (um dos mais importantes do Japão) e em 2001 o prêmio de mangás da Shogakukan (que ele já havia ganhado antes com Yawara! e posteriormente com 20th Century Boys). Um sucesso absoluto que é justificado nas páginas da obra.

Em Monster percebemos em apenas um volume o porquê de Naoki Urasawa ser considerado um gênio ao qual poucos mangakás da atualidade se comparam. Para começar, toda a ambientação da obra na Alemanha em uma época que atravessaria a unificação entre as partes Ocidental e Oriental, ajuda ainda mais a manter todo o clima de tensão e instabilidade emocional que a história tenta transmitir. Todos os atentados e diferenciação entre as classes sociais relatadas naquela época são parte do plano de fundo de Urasawa para o desenvolver da personalidade de seus personagens, de suas ações e de seus comportamentos. Inclusive, o primeiro grande ponto de instabilidade do mangá – a decisão de Tenma – envolve uma grande influência política e social dentro do contexto.

Mais uma vez em uma obra de Urasawa, o grande destaque de Monster é a personalidade marcante de todos os que aparecem na história. Seja na interação com o ambiente ou através dos traços fortes, Monster realça muito bem qualquer traço de emoção, nervosismo, desespero, desdém, vergonha, decepção, ódio, amor ou zelo que alguma pessoa tente transparecer. Logo no primeiro capítulo isso fica muito claro na cena em que a esposa do turco aparece desesperada e em prantos para protestar sobre a morte de seu marido. O mangá tem uma enorme capacidade de emocionar sem parecer forçado e de conseguir ser direto na mensagem passada pelo autor.

Em um volume já percebemos um jogo de interesses e de reviravoltas na vida do protagonista que não nos permite fazer predileções sobre o rumo que a história tomará. O que a salvação de um paciente pode ter causado na vida do Doutor? Quais as consequências que ele arcará? Tudo é muito franco e cheio de possibilidades, mas nada é por acaso. Cada ponta da história é muito bem conectada e permite ao leitor não se sentir perdido na história – mesmo os detalhes postados em cada quadro não conseguem passar despercebidos. É um show visual, de narrativa e de roteiro, que permitem ao leitor remeter sensações de um verdadeiro thriller policial repleto de ação, suspense e uma “direção” impecável.

Considerações Técnicas – A versão Panini

Monster era um dos casos que por mais que pensássemos não encontraríamos uma razão a qual a Panini pudesse “errar”. A única dúvida que alguns tiveram é que a Panini poderia ter cogitado a publicação da edição definitiva da obra – o que particularmente acredito que não fosse uma boa saída. Na verdade a opção foi em manter o mesmo formato que foi utilizado pela Conrad com a diferença que dessa vez o título possui as capas originais da obra, de cor branca, diferente da versão anterior que era composta de uma bela capa preta. Ambas são muito bonitas, vale dizer. De resto elas seguem absolutamente o mesmo padrão, com uma ou outra diferença com relação a escolha de tipografia.

Também podemos ressaltar que a escolha pela periodicidade bimestral foi acertada em minha opinião. Mesmo com um número razoável de volumes (18) o mercado nacional favorece muito esse espaço de lançamentos devido ao número de títulos que andam surgindo nas bancas. A lógica é: quanto mais títulos bimestrais, maior a possibilidade de colecionar obras diferentes. “Ah, mas é só escolher o que quer comprar”, dirão alguns. Mas hoje o mercado nacional está “cheio” e de certa forma “inflado”. As editoras já fazem concorrências internas entre seus próprios títulos e acredito que a ideia da Panini não seja que Monster entre em conflito com 20th Century Boys, por exemplo. A periodicidade mensal hoje é necessária somente em casos extremos (como One Piece ou Fairy Tail, por exemplo, que possuem muitos volumes de diferença para o original).

A edição gráfica segue os últimos modelos da Panini com Dragon Ball. Um material de capa e papel interno padrão (nada transparente, mas também não é “branquinho”) e o preço de R$10,90 continua sendo o padrão da editora no título. A tradução ficou a cargo de Dirce Miyamura (que já traduzia o mangá na época da Conrad, além de ter sido responsável pela tradução de Evangelion Iron Maiden e Zettai Kareshi na época) e não há o que reclamar. O glossário no final desse título especificamente é muito interessante, tendo em vista que possui muitas curiosidades históricas pela ambientação já comentada da série. Enfim, um bom e coerente trabalho da Panini.

Comentários Gerais

Acho interessante o lançamento de Monster em um mercado que atualmente vem sendo cada vez mais dominado pelos shounens, vindos de ambas as editoras. É uma escolha para um público diferente, além de ter o poder de apresentar um material mais adulto e sério para os consumidores padrão do mercado nacional. Não deixa de ser uma aposta, tendo em vista que o mangá já teve uma passagem e um cancelamento no país, mas a vinda de 20th Century Boys ao lado do título demonstra que a Panini está disposta a arriscar nessa fatia de compradores. Ponto positivo por ser uma daquelas obras que você deve ler e indicar para qualquer apreciador de uma boa história, seja ela e mangás, comics americanos, fumetti ou qualquer outro tipo de história em quadrinho.

Apenas espero que a Panini saiba como trabalhar com a divulgação e o marketing dessa obra. Dificilmente ela terá o mesmo investimento de mídia que Dragon Ball e One Piece tiveram, e isso me assusta um pouco. Independente do título publicado, isso deveria ser o mínimo a ser pensado pela editora. Investimento para obter resultados é o básico de qualquer tipo de mercado, e com mangás não é diferente. Nos resta torcer para que Monster se destaque e consiga colher bons resultados nas bancas do Brasil. Urasawa merece. O público merece. E a minha vontade de ter Pluto publicado aqui um dia, também merece.

por Dih

66 Comentários

Arquivado em Mangás, Review

66 Respostas para “Review – Monster, de Naoki Urasawa: Volume 1 (Editora Panini)

  1. Asevedo

    Estava aguardando com muita expectativa esse título. Não pude comprar na época da Conrad por falta de dinheiro, mas conferi alguns números e agora é hora de comprar a coleção completa.
    A tradução vai ser excelente, já era muito boa na época da Conrad e é bom ver a diversifcação de tradutores.
    Não acho a capa branca ruim, mas prefiria muito mais a preta e é uma pena que a Conrad tenha degringolado quando tinha bons títulos.

    Curtir

  2. É compra certa, e qualquer outro seinen que a Panini lançar.

    Curtir

  3. Parece legal essa historia..vou ver o anime talvez….quando tiver tempo….

    Curtir

  4. será que a unica coisa que a panini vai mudar é a capa? Queria continuar da onde a conrad parou… apesar de ficar diferente do resto da coleção e de já ter lido o mangá e visto o anime…. SERÁ?! ;-; mimiimimi

    Curtir

  5. Eu achei foda pra caralho, aquela imagem na contra-capa logo quando se abre o mangá da um impacto tão grande.

    Curtir

  6. Giovanna

    Dih, não era um operário turco o paciente q acaba morrendo, em vez de um judeu?

    Excelente mangá, vale MTO a pena.

    Curtir

  7. Penso em compra-lá só vejo gente elogiando ela, e é algo diferente de ler to com vontade de ler algo novo, acho q vou acabar acabar comprando kimi ni todoke sei lá, mas monster vou.

    Curtir

  8. Madao

    Tentarei colecionar! In Urasawa we trust!

    Curtir

  9. Helder Avelar

    Também quero MUITO Pluto. XD É uns dos meus mangás preferidos, queria muito tê-lo em minha estante… de preferência com aquela linda capa dupla com um “buraco” na forma da cabeça do Astro!!! *___*

    Curtir

  10. Show de bola…
    A qualidade dos mangás ainda são um problema .. mais a Panini sabe lançar um bom mangá, diferente da JBC que parece viver no passado, quando pensa no futuro lança mangás fracos…
    Relançar mangás são uma ótima ideia , mais tb vc tem que pensar no futuro
    Sket Dance, Gintama, Toriko,katekyo hitman reborn entre tantos estão na areá… pega um desses e lança…

    Curtir

    • Icaro Assis

      Sakura Card Captors, Soul Eater, Bakuman… são mangás fracos ??? Queria uma definição de mangá forte… é muita birra com a JBC , que a cada dia que passa está melhorando.

      Curtir

      • Cara de um lado está Naruto, Bleach (ñ sou fã desses dois ,) e One Piece ( o grande relançamento da Panini) do outro vc vem falar em Sakura Card Captor e Soul Earter …o Bakuman e até maneiro … so que ñ chega aos pés desses 3

        Curtir

      • Katsura

        Espero que você esteja falando em popularidade e vendas.
        Porque nenhum dos 3 que você falou são títulos fracos.

        Curtir

      • compara com Naruto,Bleach e One Piece serão fracos ..
        Tipo digamos que JBC lança o mangá Gintama ..ele é um manga que bate de frente com esses 3 ou até msm Toriko

        Curtir

      • Icaro Assis

        Sou super-fã de OP mas não o uso para comparação com outras obras… não é algo que deve ser feito( pelo menos atualmente ).O que falei foi o fato de você falar mangás fracos… e os mangás que citei com certeza não são fracos.

        Curtir

    • Giovanna

      Em compensação a JBC está lançando títulos de demografias diferentes e ouvindo os leitores, como no caso de Sakura.

      Nem todo mundo liga para Naruto, One Piece, Bleach e títulos similares.

      Curtir

    • Korhal

      Desiste de Reborn, a chance dele vir pro Brasil tende a zero.

      Curtir

      • thoty esqueceu q a Panini tem Dragon Ball tb e concordo com vc a JBC tem q lançar um titulo “FODA” tipo Toriko ou Gintama ia vender igual agua mais Soul Eater é um titulo bome muito famoso nao no nivel de Naruto, Dragon Ball e One Piece mais é bom

        Curtir

      • realmente Dragon Ball !!!!!
        Air Gear tb …que é show de bola
        basicamente só compro os mangá da Panini..

        Curtir

  11. Carol

    Título maravilhoso! O volume 1 já está lindo na minha prateleira, esperando 20th Century Boys para lhe fazer companhia. xD

    Curtir

  12. Luke

    Pois é, Dih, a minha vontade também é ver Pluto publicado por aqui, essa sim a minha obra favorita do Urasawa. Tendo a panini publicado Astro Boy, seria uma boa pedida. Torçamos para que os títulos atuais tenham boas vendas e providenciem mercado para essa excelência em obra.

    Curtir

  13. Nicole

    Não tinha lido a versão da Conrad, mas comprei essa da Panini e gostei bastante! =) Vamos ver como vai desenrolar a história! Estou curiosa!

    Curtir

  14. Likou

    Um seinen pra salvar o dia. Assim q ver nas bancas, eu compro, esse tipo de obra anda em falta.

    Curtir

  15. Eu com certeza comprarei. Tenho os 10 volumes lançados pela conrad, mas Monster é bom o suficiente para que eu compre tudo novamente. Diferente de Soul Eater, esse título me atrai bastante.

    Curtir

  16. Comprei de olho lá no Anime Friends, não sei porque, só bati o olho na capa e peguei. hehe

    Ótima história, ansioso para a próxima publicação, Panini anda fazendo um ótimo trabalho com os mangás.

    Curtir

  17. Okumuraa

    O que essa Conrad tem que cancelou uma porrada de mangás?

    Curtir

    • Giovanna

      Entrou em falência e foi vendida.

      Curtir

      • Korhal

        Na verdade, eles cancelavam quando as vendas não alcançavam o número desejado (leia-se: lucro), saíam cancelando ao bel-prazer, e os otakus foram percebendo e tomando raiva da editora, parando de comprar títulos, e ela foi perdendo clientela até que não tinha como se sustentar, aí sim entrou em falência, terminou de cancelar o que já tava sendo publicado, e foi vendida. Hoje ela vive de publicar livros.

        Curtir

  18. Kid Kaos

    poxa… sabia que esse manga deveria ser bom, mas nunca me interessei muito, mas depois de Review vou ter que ler essa obra!

    Curtir

  19. Melke

    Tb nunca tinha lido, mas n da pra deixar passar um seinen tão elogiado de um autor tao elogiado e sendo bimestral. Ja comprei o meu e to so esperando chegar. Adoro One Piece, Dragon Ball e HxH e compro Naruto, mas é sempre bom ler algo voltado para um publico mais adulto.

    Curtir

  20. Amanda

    Nunca tive contato com a obra, a primeira vez vai ser comprando o mangá mesmo. O problema é que não acho, fui ontem procurar e não tinha em lugar nenhum. Panini atrasando, mas tudo bem, hehe.

    Curtir

    • Giovanna

      Vc mora em alguma cidade da fase 1?

      Eu comprei o meu online, e já chegou faz um tempinho, então acho q dessa vez não foi atraso. Pergunta pro jornaleiro, as vezes eles nem pegam alguns volumes, por acharem q não vai vender.

      Curtir

      • Amanda

        Não sei o que é fase 1. xD Moro em Brasília, hehe.
        É, vou fazer isso mesmo, mas acho que não veio mesmo porque procurei em lugares que sempre tem a maioria dos títulos.

        Curtir

      • Giovanna

        Fase 1 são as cidades (SP, RJ e algumas capitais) q recebem e disponibilizam os mangás, assim que as editoras os publicam. Depois de um ou dois meses os mangás são recolhidos e disponibilizados pra outras cidades, essa é a Fase 2.

        Imagino q Brasilia seja Fase 1… Se vc perguntar pro jornaleiro, ele te fala se ele preferiu não disponibilizar, ou foi pq não “chegou” msm. Se for o segundo caso, acho q fica claro q é uma cidade Fase 2, e vc já sabe q tem q esperar geralmente um tempinho pra ir comprar.

        Curtir

  21. Okumuraa

    To no episódio 30 do anime e to gostando, quero comprar os mangás também.

    Curtir

  22. Monster tem uma participação especial de Jorge Luis Borges. Sem mais meritíssimo.

    Curtir

  23. Mugi-chin

    O mestre Urasawa é um gigante, o cara pode publicar qualquer coisa, que vai ser bom! Monster é sensacional! Como o Dih falou, é com certeza uma das melhores obras que irão ler.
    Acho que já perguntei isso aqui umas 4 ou 5 vezes, 21th Century Boys, tbm está confirmado?
    Eu li nos comentários anteriores algo sobre republicação. Se pararem pra pensar, existe uma porrada de mangas que DEVEM ser republicados ou continuados, um deles foi citado aqui: Mugen no Juunin (Blade: A Lâmina do Imortal) é um dos casos que poderia ter uma chance, como aconteceu com Evangelion. Além disso, eu bato palmas para a JBC por relançar SCC e Rurouni Kenshin (tá, tá, CDZ não precisava), os meio tanko daquela época só faltam esfarelar nas mãos. Muitos outros podem ser adicionados a esta lista, como: Vagabond, Battle Royale, Shaman King, pq não?
    Mas o que eu queria mesmo, era um relançamento de Slam Dunk, seria perfeito! E tenho certeza de que venderia como água! Vira e mexe eu mando e-mail pra Panini e pra JBC pedindo Slam!

    Curtir

  24. Rayovac

    to loco por esse manga mas ainda não achei ele e Sakura… os desse mês tão chegando… mas esses dois tá dificil!!

    Rayovac!

    Curtir

  25. Atom

    Texto muito bem escrito, de um mangá excelente.

    A única ressalva que faço no texto é essa frase “a editora Panini – líder do mercado nacional de mangás atualmente –”, a Panini, provavelmente, não deve ser apenas líder no mercado de mangás, mas de quadrinhos em geral no Brasil, mas a forma que aparece no texto esta frase soa meio tendenciosa. Tudo bem você gostar mais do trabalho de uma editora ou de outra, isso é normal, mas para falar que ela é líder, tem que mostrar dados de que ela vende mais que a concorrência, ela pode até ter os títulos com mais apelo com o público mas isso nem de longe quer dizer que vende mais que as outras ou que é líder de mercado, já que as editoras daqui não liberam informações de vendas.

    Estou dando esse toque pois gosto de ler o blog, e acho que esse tipo de colocação só gera polêmica e não traz informação alguma. Se for falar que tal editora é líder, traga provas para não ficar uma coisa muito vaga.

    Curtir

    • Dih

      Obrigado pelo comentário e grato pela dica. Apesar de entender seu ponto, minha intenção não foi desmerecer as outras editoras ou enaltecer a Panini – inclusive ultimamente tenho elogiado muito a JBC com sua melhora da qualidade. Mesmo assim tenho uma visão de mercado (e alguns dados de pessoas da área) que dão margem para essa afirmação. Bem, de qualquer modo, desculpe mais uma vez e obrigado pela visita! 🙂

      Curtir

  26. samurandre

    voltarei a comprar mangás, só por causa dessas duas obras

    Curtir

  27. Rafael Nunes

    Excelente obra, assisti o anime (100%fiel comparado ao mangá) e tem uma excelente trilha sonora! (Meu volume 01 já está aqui na coleção.)
    O que mais gosto em Monster são os personagens, o criador soube exatamente como desenvolve-los e torna-los tão reais, podemos encontrar facilmente um Dr.Kenzo Tenma, uma Eva Heinemann, além disso é incrivel como passamos a gostar e odiar ao mesmo tempo certos personagens (próprio “vilão” da obra).
    Personagem nota 10 é o Detetive Lunge, incrivel acompanhar toda a obra e não torcer por ele no final…
    Melhor parar aqui porquê senão acabo contando spoiler…
    Enfim, garanto que quem acompanharMonster não vai se arrepender, de prefência o anime.

    Curtir

  28. Rayovac

    Comprei o maga hoje ainda não deu pra analisar com calma as cenas nem nada, e depois de ter lido o review eu fiquei ainda mais critico quanto ao manga, mas eu gostei a história madura com reviravoltas e confusões psicológica que me deixou zonzo já no primeiro capitulo (parecia um daqueles socos que te levam pro chão em 1 segundo), eu não estou 100% acostumado a ler seinin, então a disposição dos quadros parece meio estranha e a colocação das falas também, mas isso não tirou minha interpretação plena de obra, eu gostei dos quadros escuros achei que faz um jogo legal, e só achei os quadros com poucos detalhes exagerados de mais, porém todo o jogo psicológico que o manga proporciona acaba compensando essa parte, na verdade acho que é só questão de habito mesmo, aliás a panini vem arrebentando na qualidade dos mangas, por 10,90 achei fascinante hehe, toda a estrutura das paginas feitas pela panini incluindo o glossário ficaram incríveis e botaram inveja a todas as obras da Panini…

    Bom o que posso acrescentar também é a questão do manga ser bimestral, eu não tenho 20th mas de qualquer forma acho esse autor indispensável e esse manga deve ser lido a todo custo por todos os públicos, mas realmente estava ficando apertado o orçamento, eu sou daquele tipo que gosta de ter todos (as reedições ai depende do que vem diferente como paginas coloridas e tals), então se não fosse bimestral esse mês ia apertar pra Soul Eater e e Black Butler que são novidades que também são indispensáveis, mas sem dúvida a Panini vem acertando na periodicidade de seus mangas, a JBC deveria caprichar mais e acho que alguns mangas poderiam ser trimestrais, a sim e Sakura ainda não chegou pra minha banca mas vai chegar hehe…

    Acho que todos os mangas mensais da panini deveriam ter um sistema de assinatura e um descontinho hehe, assim seria mais pratico e fácil, os bimestrais e trimestrais e indfinidos podem ficar do geito que estão porque dá pra levar na boa…

    Agora resta saber o que a JBC vai trazer pra nós, quero ver a qualidade deles melhorar e muito, pois Monster só reafirmou que a Panini realmente veio pra brigar pelo mercado de manga de todos os generos, gosto e estilo.

    Rayovac!

    Curtir

  29. Pingback: Monster – Editora Panini – Vol.1 |

  30. Pingback: Review – Freezing, quando o fanservice nunca é demais: Volume 1 | ChuNan! – Chuva de Nanquim

  31. Quando li o mangá, a versão da panini mesmo, achei a qualidade do mangá muito boa, gostei da capa, contra-capa, do papel e tudo mais, fiquei impressionado ao ler a forma como foi analisada essa qualidade física do mangá aqui, já deu pra perceber como o referencial de qualidade já está mais elevado, a qualidade de Monster está sim boa, assim como os últimos mangás da Panini, mas com o salto de qualidade da concorrente acho muito bom ver que já existe a cobrança por parte de nós, consumidores, de uma melhora na qualidade da Panini também, quem sabe um dia chegamos a poder comprar um mangá da qualidade dos mangás americanos ou até japoneses sem precisar pagar frete.

    Curtir

  32. Pingback: Monster – Editora Panini – Vol.1 | Gyabbo!

  33. Pingback: Monster | Cappuccino Gelado

  34. Urasawa … Esse nome (sobrenome) remete a obras como 20th Century Boys, Yawara! e Jigoro. Um gênio em se tratando de roteiros e adaptações.

    Monster é um dos poucos títulos que concordei que fosse relançado, a obra conta com um enredo muito interessante e desde o primeiro volume agrada bastante os fãs de histórias que envolvem suspense, psicologia, drama e até mesmo temas médicos e perspectivas globais.

    O primeiro volume mostra uma história bem arquitetada, conseguindo associar vários temas e colocando o protagonista Kenzo Tenma em arco cheio de reviravoltas e pontos que vão se ligando até um contexto final no mínimo conspirativo e agradavelmente intrigante.

    Provavelmente a única razão para ler Monster é a história em si. Embora tenha algumas pequenas falhas, a sua história definitivamente está em um TOP 5 de enredos que já li. De nenhuma maneira Monster é um mangá de fácil leitura. Como eu escrevi anteriormente os pontos vão se juntando e você precisará ter um mínimo de habilidades cognitivas para entender e saber juntar tudo em uma só definição, entendendo e automaticamente imaginando outros fatos ao mesmo tempo.

    Enfim, Monster é uma obra-prima daquelas que realmente merecem uma atenção especial. O anime foi produzido sob demanda, rigorosamente semelhante à história do mangá. E o resultado foi ainda mais positivo por que a animação de alta qualidade o coloca em uma posição previlegiada dentre as melhores animações já produzidas pelo país nipônico. O anime de Monster possui 74 episódios muito bem colocados, produzidos e cativados sob o simples fato dos arcos se manterem em uma posição de destaque ao conteúdo total do que representa a série em si.

    Parabéns Naoki Urasawa.

    Curtir

  35. Pingback: Checklist – Outubro com Gantz e novo arco de Bleach na Panini | ChuNan! – Chuva de Nanquim

  36. wellington de santana

    Companheiros, as capas atuais serão as mesmas do primeiro lançamento? Quero comprar, mas receio que sejam diferente das anteriores. Mais ou menos como fizeram com vagabond.

    Curtir

  37. Pingback: Checklist – Dezembro sem lançamentos e fim de Alliance Cross na Panini | ChuNan! – Chuva de Nanquim

  38. Pingback: Mangá ‘Monster’ pode ganhar série live action na HBO | ChuNan! - Chuva de Nanquim

  39. Anna Carolina

    Me tirem uma duvida… eu já tenho a versão da ed. Conrad até o 9 será que tem algum problema se eu comprar o 10 em diante da ed. Panini??

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s